Sim, pornografia é racista

No post do blog Shira Tarrant sobre raça e pornografia, ela entrevista alguns artistas bem conhecidos Afro-Americanos para contestar minha afirmação de que a pornografia é racista. Há algumas mulheres de cor que são bem sucedidas na pornografia, mas isso não muda o fato de que a pornografia é sistematicamente racista. Sistemas de opressão são flexíveis o suficiente para absorver alguns membros de grupos subordinados, além de  tirar  força da ilusão de neutralidade fornecidas por essas exceções. Assim, a eleição de Barack Obama não prova o fim do racismo, nem o sucesso de Hillary Clinton prova que a política não é patriarcal.

Como socióloga, eu estou interessada  em identificar e explicar os padrões que ajudam a entender como os sistemas de poder moldam  a forma como a maioria das pessoas vive. Na pornografia, mulheres de cor são geralmente relegadas a “gonzo”, um gênero que tem pouco glamour, segurança ou status chic. Aqui, as mulheres têm poucos sites de fã-clubes, não fazem  parte da cultura pop e têm de suportar oral, vaginal e anal socando forte e que termina com as cenas usuais  de ejaculação no corpo e na boca.

As mulheres de cor também recebem menos do que mulheres brancas. O conhecido ator pornô negro Lexington Steele disse ao escritor Lawrence Ross que:

“Em uma cena homem/mulher, sem sexo anal, o mercado determina um mínimo de 800 dólares para 900 dólares por cena para a garota. Agora uma garota branca vai começar em US $ 800 e daí para cima, mas uma garota negra terá que começar  em US $ 500, e depois bate num limite máximo, de cerca de US $ 800.”

O que faz gonzo normal, diferente para uma mulher negra é a maneira como os estereótipos do passado e do presente são  desenterrados e lançados em seu  rosto. Não satisfeitos  em chamá-la pelos termos corriqueiros  do gonzo:  vagabunda / puta / cumdumpster, ela é muitas vezes referida  como uma  “puta do gueto” com uma atitude abusada  que precisa aprender uma lição. Esse estereótipo da mulher negra como promíscua, arrogante e que necessita de controle é aquele que tem ressonância histórica com  a escravidão para Moynihan_ e continua a pautar as  atuais políticas governamentais.

Tomemos, por exemplo, o texto no site Ghetto Gaggers que acompanha as imagens da  ‘Megera’ (Vixen) coberta de esperma:

“Vixen é uma  fabulosa e petulante puta do gueto com mais atitude do que Harlem tem crack. Ela precisava aprender uma lição de uns paus brancos …. Ghetto Gaggers, destruímos putas do gueto.”

Em sites como estes, o status aviltado da mulher negra como mulher é continuamente fundido e reforçado por ser uma pessoa de cor. No processo, sua raça e gênero tornam-se inseparáveis e seu corpo carrega o status de dupla subordinação. É este o aproveitamento do gênero e da raça que faz as mulheres de cor, um grupo particularmente útil para explorar em gonzo porn, que só funciona na medida em que as mulheres são humilhadas e desumanizadas. Isso sexualiza a supremacia branca, de uma forma que torna  o racismo real invisível na mente da maioria dos consumidores e não consumidores.

Racismo na pornografia e na sociedade em geral não vai mudar porque algumas mulheres negras estão fazendo sua própria pornografia. O racismo e o sexismo são macro-sistemas de opressão, e o caminho para lutar contra isso,  não é produzindo  mais porn, mas ao invés,  organizar uma contra  estrutura de poder que impeça uma indústria baseada na degradação de todas as mulheres de continuar  a florescer.

Gail Dines autora de  Pornland: Como a Pornografia seqüestrou nossa sexualidade.

http://msmagazine.com/blog/blog/2010/08/27/yes-pornography-is-racist/#idc-cover

Tradução Arttemia Arktos

Textos relacionados:

Pornografia e Prostituição – Uma breve história dos mecanismos de opressao dos machos

Pornografia – enciclopédia sexual dos machos

Publicidade e pornografia simbólica

Pornografia e capitalismo

Sexualidade humana e pornografia industrial

Pornografia é arte feminista? 

Liberdade sexual, pornografia e feminismo

A história de Linda Susan Boreman – de atriz pornõ a militante feminista

Devemos nos preocupar se a pornografia sequestrou nossa sexualidade?

A pornografia é uma questão da esquerda

Todo mundo tem problemas sexuais

O meu brainstorm da pornografia

O lado negro da pornografia

Myths of porn

Homens e meninos _ excerto de Pornografia, homens se apossando de mulheres

Pornografia celebra violência contra mulher

Pornografia torna o mundo mais violento

Efeitos da Pornografia

Manifesto antipornografia

Como as políticas do orgasmo sequestraram o movimento feminista

Chamada pelo fim da pornificação da sociedade

%d blogueiros gostam disto: