O que é feminismo mesmo, hein?!

Um movimento político e social que luta para acabar com as diferenças de gênero.

Um movimento que questiona as relações hierárquicas estabelecidas na sociedade.

Um movimento que trabalha para desnaturalizar as relações heteronormativas buscando a liberdade de orientação sexual, questionando o papel da mulher dentro desse padrão obrigatório de feminilidade e heterossexualidade, buscando o direito da mulher a seu corpo e prazer .

Um movimento que quer estabelecer  a igualdade social, política, econômica, cultural e sexual entre mulheres e homens.

Feminismo é odiado porque as mulheres são odiadas. Antifeminismo é uma expressão direta de misoginia; é a defesa política do ódio às mulheres. Andrea Dworkin

Um movimento que almeja o fim da misoginia e sexismo.

Apesar de todos os avanços, a dupla moral segue qualificando as mulheres em santas ou putas.

Um movimento das mulheres, para as mulheres e pelas mulheres que prega a empatia, a solidariedade e lealdade entre as mulheres que unidas combaterão a opressão, a discriminação e a violência de que temos  sido vítimas ao longo de milênios de patriarcado.

O feminismo não baseia sua ação na busca pela superioridade feminina e sim na igualdade, na equiparação da mulher em direitos, em oportunidades e no tratamento que recebe da sociedade.

Um feminismo que busque resultados mas não mude as estruturas e que ainda preserve os estereótipos da feminilidade. Esse o modelo de feminismo que querem impor.

Feminismo quer o fim do patriarcado, porque é um sistema opressor, que prega, perpetua e impõe a dominação masculina em todas as áreas, em todos os lugares e em todas as culturas.

Feminismo provoca as mais diversas reações que vão da ridicularização ao repúdio. Mas como se sabe,  o feminismo não mata ninguém, mas o machismo mata todo dia. Pergunta respondida.

Essa dominação masculina reflete numa situação, onde as mulheres é que  são as mais discriminadas, oprimidas e exploradas com:  subemprego, com a perda do emprego em situações de crise, remuneração menor pelo mesmo trabalho,  são as que mais perdem quando os governos com a desculpa de combater crises  cortam benefícios sociais,  violência doméstica, maioria das crianças em idade escolar fora das  escolas e em conseqüência disso, somos a maioria dos analfabetos do mundo, estupros, estupros de guerra, incesto, assédio sexual nas ruas, no trabalho e  etc, mutilação genital, crimes por honra,  somos estigmatizadas por nossa vida sexual e não temos direito de escolha em casos de gravidez não desejada, prostituição, prostituição da pornografia, tráfico de seres humanos para escravidão, exploração sexual, tráfico de órgãos,  maioria dos refugiados de guerra são mulheres e crianças, o corpo da mulher aviltado de todas as formas na publicidade e em todas as mídias, jornada tripla de trabalho e também somos as que mais produzem alimentos e as que menos temos  a posse da terra. É pouco?

Misoginia. O desprezo pela condição feminina e redução da mulher a seu órgão sexual.

Por isso o feminismo é tão repudiado. Lutar pela liberdade das mulheres, para que elas deixem de ser o outro sexo, aquele sexo, o sexo inferior, o sexo que foi relegado a um papel de inferioridade e de exploração, que trabalha silenciosamente dentro dos lares, mantendo o capitalismo livre de assistir as crianças em todas as idades, os idosos, os inválidos, os doentes , pois é com o trabalho doméstico das mulheres que essas pessoas são cuidadas e a sociedade capitalista e patriarcal eximida de investir em creches, em hospitais ou mesmo prestar auxílio nas residências. E pela exploração e não qualificação das mulheres mantidas em casa, sempre serão mão-de-obra barata que pode ser acionada a qualquer momento e também descartada.

Nenhuma mulher almeja ser tratada como uma boneca inútil e frágil, por isso dispensamos o cavalheirismo. Preferimos respeito.

O feminismo denuncia a misoginia, o sexismo, a discriminação que faz com que sejamos tratadas como objeto sexual, como mão-de-obra barata e de segunda categoria, como escravas domésticas,  como reprodutoras da raça humana em que ao mesmo tempo em que nos querem restringir a essa função, nos discriminam por sermos mães e nos negam trabalho e  tratamento digno durante a gravidez.

Sempre existe um lugar onde a mulher tem que cumprir o seu papel de objeto submisso, passivo. Não há escapatória. Mulher assertiva sexualmente que impõe limites e sabe de seus desejos e se recusa a ser  usada não é aceito, é mesmo repudiado.

O feminismo ao denunciar e conscientizar as mulheres de sua opressão é que as instrumentaliza para reagir a esses condicionamentos, que são sim, mantidos para que o homem continue num patamar de superioridade em relação ás mulheres, pois um homem explorado e oprimido dentro do patriarcado capitalista sempre tem o consolo de oprimir as mulheres.

O sexismo discrimina, desvaloriza e demoniza a mulher. No patriarcado que valoriza a masculinidade só homens mijam em pé e seguram seus valorizados órgãos sexuais, às mulheres inferiores e femininas resta o sexo como obrigação porque sem tesão e por dinheiro, se  reivindicam estão brigando sem razão e por serem sempre categorizadas como putas são aquelas que se casam por interesse.

A opressão é um fato. Ela está em todas as sociedades do planeta. Não há sociedade no mundo onde as mulheres, só por serem mulheres, não sofram algum tipo de discriminação. Só a conquista do direito ao trabalho, a estudar,  não garante à mulher sua total emancipação. É preciso desconstruir TODOS os valores que contribuem para que a mulher seja tratada como sujeito inferior dentro  de uma sociedade que se  construiu a partir de premissas que colocaram os homens em situação privilegiada em relação às mulheres.

Feminismo denuncia que a perpetuação desses valores é que mantém a  opressão feminina e contribuem para a naturalização, geração após geração,  de toda forma de discriminação que as mulheres sofrem.

Ainda não entenderam que a eleição de uma mulher foi um marco político no Brasil, porque nunca houve uma presidentA antes dela, por isso fazemos questão de nomeá-la no feminino.

O feminismo muito fez pela mulheres e ainda tem muito o que fazer.

Enquanto abrimos novas frentes de luta, continuamos batalhando para solidificar aquilo que já conseguimos. Nossa luta é constantemente renovada e nunca nos faltam razões para sairmos em busca de melhorias para as mulheres, porque o patriarcado não deixou de existir, muito pelo contrário,  resiste e tenta a todo custo se manter. Mas nós não desistimos, seguiremos juntas até que tod@s sejamos livres!

Textos sobre a situação das mulheres:
Mulheres são maioria entre jovens fora da escola e do mercado de trabalho http://migre.me/3Pn5p
Hundreds of women die for “honour” each year http://bit.ly/i4sZSL
Mulher chefia apenas 5% das grandes empresas no Brasil http://migre.me/3LOZh
El aborto, un delito para mujeres pobres; la clandestinidad las mata http://bit.ly/fSZ4wg
Dez mulheres são mortas por dia no país, aponta Instituto Zangari http://bit.ly/cWPY0H
Estupro e proteção insuficiente http://migre.me/2mjFG
Tráfico de mulheres e prostituição  http://migre.me/8D6Bg
Existem sociedades onde meninas sofrem maus tratos por parte dos pais por não serem meninos http://migre.me/2oXCU
A imagem da mulher como atrativo na Propaganda http://www.partes.com.br/ed37/emquestao.asp
A mulher Negra Brasileira http://migre.me/3QrSh
Direitos, feminismo e opressão social http://migre.me/3QsC8
Trabalho doméstico continua feminino http://migre.me/3Rj51
Mulheres sofrem violência em maternidades públicas  http://migre.me/3Roiq
Muito pior para elas, negras e mulheres  http://migre.me/3Rooh

%d blogueiros gostam disto: