Como as ações feministas e as ações antiprostituição estão realmente interligadas?

Veja, a maioria das que se declaram feministas são contra o que é frequentemente referido como “cultura do estupro”, que quer dizer a cultura em que as mulheres estão sendo constantemente ameaçadas de estupro e relações sexuais normais são deformadas para que os homens procurando mulheres para estuprar seja considerado a norma. Cultura do estupro é uma cultura em que homens são encorajados a tomar sexo de suas parceiras independentemente de consentimento e as mulheres a serem objetos sexuais passivos para estes homens. Mulheres são valorizadas por nada além de sua capacidade de serem adequados brinquedos de foder  para homens no comando.

Em uma cultura do estupro, se uma mulher tentar estabelecer seu próprio valor quando ela quiser, seja saindo vestida do modo que bem entender, à noite e indo a um boteco onde planeja beber sozinha, é ameaçada e mantida na linha com a possibilidade de um estupro. Em uma cultura do estupro, um homem é tratado como se sempre tivesse direito ao sexo quando e como ele quiser, com a implicação de que se alguém não lhe oferecer o que quer agora, ele vai e toma.

Prostituição é uma parte intrínseca desse sistema. É o dispositivo pelo qual homens dizem que na verdade, eles sempre tem o direito ao sexo e nunca deveriam ficar sem. É o paliativo que se oferece aos homens na esperança de que sua poderosa e inconveniente virilidade não estuprará a nós, mulheres indefesas. E esse paliativo é oferecido aos homens porque é impensável que eles sejam ensinados a não ser sádicos e odiar as mulheres na expressão de sua sexualidade.

Não só a prostituição apóia o “satisfaça-nos ou vamos estuprar você” enquanto aspecto da cultura patriarcal, como confirma a visão de mundo dos homens que acreditam que esta é a maneira correta de viver. Mulheres são objetos que você pode  comprar da mesma forma que você compra um tupperware. Mulheres são brinquedos de foder _ você pode até dizer-lhes isso e vão concordar (porque você paga). As mulheres sempre querem isso (porque você paga para que finjam isso também). É impossível estuprar algo que é menos do que plenamente humano e que sempre vai querer fazer sexo com você de qualquer maneira. Isso é o que os homens estão pagando para ser a regra quando saem com uma garota de programa, stripper ou qualquer uma que venda a ilusão de sexo.

Eles pagam para fingir que uma mulher nunca pode dizer não. E ainda imaginam que nenhuma mulher pode recusá-los quando  entram em seus carros para encontrar algumas universitárias para assediar. Eles pagam pelas mulheres para confirmar e em conformidade com a cultura patriarcal do estupro. A eliminação da indústria do sexo, eliminaria uma das maneiras em que a cultura do estupro se perpetua. A eliminação da indústria do sexo poderia e deveria ser o caminho feminista acordado para que as mulheres fossem tratadas como mais do que mercadoria e os homens entendessem que não é o fim do mundo, se eles não conseguem encontrar alguém para se envolver em sexo consensual com eles.

http://whyihatefunfaq.blogspot.com/2008/03/how-are-feminist-attitudes-and-anti-sex.html

Tradução:  Arttemia Arktos

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. yume
    jun 30, 2011 @ 01:56:10

    Nesta stória de “a mulher pode se vestir como quiser” me lembar uma coisa: o feminismo é paradoxal.Vive reclamando que os homens nos vêem como objetos sexuais,mas é nosso direito se reduzir a um…?? Então,pousar nua é um direito,rebolar pelada no carnaval é um direito..como vamos ser vistas como seres-humanos se somos coniventes com esta objetificação?Eu não vejo homens se vestindo sensualmente para trabalhar,estão todos de terno ou uniforme,porque é normail usarmos decotes e minissaias?E ainda fazem passeata para tal!Por que não uma passeata contra aexploração sexual simbólica na mídia que está começando a atingir meninas?
    De um lado,prega que a mulher tem direito de ser objeto e depois condenando os homens por nos verem como tal…dizem ser contra prostituição,mas este incentivo simbólico pode? O questionamento deveria ser: “por que a roupa feminina é sempre com alusão erótica?Por que somos encorajadas a personificar sexo?” ao invés de ficar fomentando exploração sexual.

    • arttemiarktos
      jun 30, 2011 @ 15:05:43

      Essa história é muito simples: a roupa que a mulher veste, o fato dela sair para beber sózinha, andar na rua á noite, ter posado nua para revistas masculinas, rebolar no carnaval, ser prostituta; NÃO pode ser tomado como desculpa para inocentar o estuprador e culpar a mulher pela violencia que sofre.

      Isso não é pregar que a mulher tem direito a ser objeto, é simplesmente acreditar que as pessoas usam de sua liberdade como querem e que numa situação de violencia sexual, sua roupa ou comportamento não devem e não podem ser utilizados contra a vítima, porque cada vez que uma mulher sofre violencia são julgadas e culpabilizadas como na última foto que postei: “o estupro é o único crime em que a vítima é considerada culpada’.

      Os homens nos veem como objetos independentemente das roupas que vestimos, afinal em países muçulmanos onde as mulheres andam cobertas, existe assédio sexual nas ruas e estupro.

%d blogueiros gostam disto: