Mitos e fatos sobre violência sexual

‘“cultura do estupro”, que quer dizer a cultura em que as mulheres estão sendo constantemente ameaçadas de estupro e relações sexuais normais são deformadas para que os homens procurando mulheres para estuprar seja considerado a norma. Cultura do estupro é uma cultura em que homens são encorajados a tomar sexo de suas parceiras independentemente de consentimento e as mulheres a serem objetos sexuais passivos para estes homens. Mulheres são valorizadas por nada além de sua capacidade de serem adequados brinquedos de foder  para homens no comando.”

MITO: A principal motivação para o estupro é sexo.
FATO: A motivação para o estupro é agressão e poder, e não sexo. Estupradores têm um desejo de dominar, humilhar e degradar as suas vítimas. Estupro não é o resultado de desejo sexual reprimido, pois muitos estupradores relatam que não desfrutam do ato sexual em si, durante o estupro. Na verdade, a maioria dos agressores têm acesso a relações sexuais com um cônjuge ou parceiro.

MITO: As pessoas são vítimas de violência sexual porque “pedem por isso” de alguma forma.
FATO: As tentativas de transferir o fardo da culpa do agressor para a vítima/sobrevivente implicando que “ela/ele pediu por isso” são comuns. Não há nada que uma pessoa faça ou deixe de fazer para “merecer” uma agressão sexual – a maneira como uma pessoa se veste, a quantidade de consumo de álcool, ou seu histórico sexual são freqüentemente usados como desculpas para justificar o comportamento do estuprador. Culpando a vítima/sobrevivente, a atenção é direcionada para longe do estuprador, diminuindo a responsabilidade do agressor pelo ataque. Culpar uma pessoa pelo estupro que sofre  por causa de seu comportamento ou o que usa é como culpar um banco por ser assaltado, por ter “tentado” o ladrão com todo aquele dinheiro.

MITO: Uma pessoa quase sempre pode  impedir um estupro, resistindo ao agressor.
FATO: Cada agressão sexual é única e a questão da resistência e submissão deve ser avaliada  individualmente. Resistência poderia deter um ataque ou poderia presumivelmente aumentar as chances de uma lesão e, talvez, resultar em morte. A vítima/sobrevivente precisa fazer o que quer que elas se sintam confortáveis a fazer para livrar a si mesmas da situação. A pessoa deve confiar em seus instintos e tudo o que fizer é correto para ela naquele momento. Mesmo que a pessoa se submeta, isso não significa um consentimento, de fato, pode significar a diferença entre viver ou morrer.

MITO: Muitas pessoas falsamente relatam um estupro como forma de vingança ou para obter atenção.
FATO: Denúncias de estupros são verdadeiras, com muito poucas exceções. A taxa de “falsas denúncias” de estupro (histórias inventadas) é de 2% a 3%, não sendo diferente da de outros crimes. (Schafran, L.H. (1993). “Writing and reading about rape: A primer.” St. John’s Law Review, 66, 979-1045). A concepção generalizada de uma suposta alta taxa de denúncias falsas de estupro pode ser relacionada com a observação sobre os baixos índices de condenação para os estupradores.

MITO: Os estupradores são facilmente identificáveis por sua aparência física, ações ou palavras.
FATO: Não existe um perfil padrão físico ou mental que defina um estuprador. Um estuprador pode ser alguém de qualquer idade, raça, situação econômica, sistema de crença ou cultura. Embora o estereótipo do estuprador como um estranho mentalmente perturbado seja a crença na nossa sociedade, estupros por pessoas que a vítima não conhece representam apenas cerca de 20% de todas as violências sexuais e, mesmo assim, o estranho que estupra pode não ser uma pessoa mentalmente perturbada. A grande maioria dos estupradores são pessoas que a  vítima/sobrevivente conhece, pessoas que ela/ele vê no dia-a-dia.

MITO: Mulheres devem sexo para os homens em algumas circunstâncias.
FATO: O sexo não é uma mercadoria a ser comprada e vendida, nem ninguém é dono da sexualidade alheia. Em vez disso, deveríamos ter a liberdade de fazer escolhas sexuais, independentemente das circunstâncias. Pagar um jantar  ou um cinema não dá a alguém o direito de exigir sexo como reembolso, nem ninguém deve se sentir obrigada a fazer sexo por causa disso.

MITO: Apenas pessoas jovens ou bonitas são agredidas sexualmente.
FATO: Vítimas/sobreviventes de um estupro variam de alguns meses a 90 anos de idade e de todas as formas, tamanhos e raças. Estupradores tendem a escolher vítimas pela percepção de sua vulnerabilidade e disponibilidade, sem levar em conta a aparência física. Atribuir o estupro a uma atratividade da vítima/sobrevivente perpetua o mito de que o estupro é principalmente motivado pelo desejo sexual. Este mito coloca de forma inadequada a culpa e a responsabilidade sobre a vítima/sobrevivente por causa de seus atributos físicos.

MITO: Quando uma mulher diz “não”,  ela na verdade quer dizer “sim”.
FATO: Este mito é comum em situações de encontro/namoro. Quando uma pessoa diz “não”, o parceiro deve assumir que isso significa nada além de um “não”. Também é vital ressaltar que se uma pessoa não explicíta seu consentimento ao  ato sexual, na forma de um sim ou expressões semelhantes, isso quer dizer que a pessoa não está consentindo. No interesse da pessoa, silêncio deve ser tomado como um “não” ao invés de ser interpretado como consentimento. Estupro não é uma questão de falta de comunicação, mas a comunicação é vital em situações sexuais.

In Myths & Facts About Sexual Assaults

Tradução: Arttemia Arktos

Textos relacionados:

Date rape: tem que ver isso aí

Então o mundo está cheio de psicopatas

Abuso sexual não tem graça

This is not a invitation to rape

Vadia, puta, vagabunda e rodada.

Estupro e transtorno de estresse pós-traumático: aspectos epidemiológicos e clínicos

Cultura do estupro

Female students must be made safer

Devemos nos preocupar se a Pornografia sequestrou nossa sexualidade?

Isso não é um convite para me estuprar!

Violência contra as mulheres: a situação

Fazer sexo com alguém bêbado é estupro

Culpem o estuprador, não a vítima

Estupro LEI Nº 12.015

Os homens que não amam as mulheres_O estupro coletivo de Queimadas

13 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Neuza
    jan 23, 2012 @ 13:35:23

    Levar um apito???? Deves estar a brincar! Só se for um apito wireless com ligação à esquadra de polícia mais próxima.

  2. eliana maria
    out 29, 2011 @ 15:47:32

    O estupro existe a mais tempo que a pornografia! Existe a milhares de anos, existia na grécia antiga, na roma antiga e no egipto! É uma demonstração de poder!

    • arttemiarktos
      nov 01, 2011 @ 12:25:50

      A prostituição, o casamento forçado, a pornografia (que é o registro das atividades das prostitutas) e o estupro são demonstrações de poder, exploração da sexualidade e do corpo feminino.

      A pornografia existe concomitante a prostituição, pois também é exploração sexual da mulher. Existem representações pornográficas na roma antiga, na grécia e em templos antigos onde se fazia o comércio de corpos das mulheres, a tal prostituição “sagrada”. O que mudou através dos tempos foi a tecnologia onde se registram as imagens.

  3. eliana maria
    out 29, 2011 @ 15:42:49

    Imagina a mulher é sensual, tem todo o direito de se-lo, mas nem por isto deve ser estuprada. Quem tem que se comportar é o homem. Até pq um bom homem, não comete este tipo de coisas! Agora dizer que pornografia, bbs incentivam os estupros é um pouco demais! Os estupros sempre existiram desde os tempos biblicos! Antigamente as mulheres não apareciam nuas em revistas ou em programas de tv, e eram estupradas da mesma forma! Acho que até com mais frequencia, não faziam as denuncia por vergonha. Conheço uma senhora de 80 anos que foi molestada pelo tio. Vamos ter que usar burcas agora para não sermos estupradas! Eu sempre usei mini-saia nos anos 90 e 80 e nunca fui estuprada ou assesiada! Eu fui assediada dentro de um buzão por dois filhinhos de papai talvez universitários, qdo eu estava trajando calça jeans e blusa de lã de gola alta! Então esta instituição da burca que algumas mulheres estão pregando aqui não se aplica! Quem tem de se comportar é o homem. Agora qto mais cubrir o seu corpo pior é! Então de acordo com algumas mulheres devemos nos comportar como puritanas pq a culpa é de nossa roupa, ou da exposição da mulher na midia qta bobagem! Homens sensuais também aparecem na midia! Qdo o homem é bom e honesto, ele é bom, honesto e respeitador. Agora qdo ele não presta, não precisa de incentivos para cometer estes atos, ele é um criminoso, tem uma disfunção de carater e não pode conviver em sociedade!

    • arttemiarktos
      nov 01, 2011 @ 12:21:15

      Sensualidade não é caracteristica de determinada mulher, mas só mulheres pagam um preço por isso. Seres humanos são sensuais.

      É óbvio que quem tem que não estuprar são os homens, por isso o slogan “Não ensine a mulher a temer, ensine o homem a não estuprar.”

      Existem pesquisas que comprovam a relação entre pornografia e violencia contra mulher. Sugiro que vc leia o texto “O lado negro da pornografia”
      e Devemos nos preocupar se a pornografia sequestrou nossa sexualidade?

      O fato da mulher usar determinada roupa não pode e não deve absolutamente ser desculpa para minimizar a culpa do estuprador. E como o próprio texto firma, não existe um perfil para o estuprador. Muitos pais de família que são considerados honestos e de bem em seu meio social, estupram e abusam sexualmente dos próprios filhos.

  4. yume
    set 28, 2011 @ 02:46:29

    ah,olha só o que achei.Descreve a minha revolsta contra aquela passeata “bem intencionada”:
    http://krasis.wordpress.com/2011/05/16/reconsideracoes-slutwalk/

    e olha o que anhamos em nos definir como sluts:
    https://twitter.com/#!/search?q=%23LingerieDay
    regras: http://twitter.com/#!/morroida/status/2781954909

    twiter importante:https://twitter.com/#!/femmedepressao

    abrçs

  5. tuxedosam
    ago 21, 2011 @ 18:54:43

    IMPORTANTE:petição online contra adivulgação de material que incentiva o estupro no FACEBOOK.

    favor passar adiante.

    http://www.gopetition.com/petitions/petition-facebook-to-remove-material-that-promotes-rape.html

  6. tuxedosam
    ago 20, 2011 @ 00:04:25

    O Snips se misturou com o sScribs e virou um troço no qual não tenho mais conta:/,foi isso que vi na última vez que tentei logar uns mêses atrás,aí nunca mais tentei…perdi lista de amigos,aquivos tudo…
    Os emails que eu tinha seu( era uns 3 parece),todos eles acabaram me devolvendo as mensagens,então eu não sei para qual escrever mais…vc me manda um então neste que ficou gravado aqui no wordpress.,aí eu elvio material meu,os lances internacionais,coisas que eu posso traduzir,etc,ok? ^_^

  7. tuxedosam
    ago 18, 2011 @ 01:56:02

    ah tá…bom,acho então que agora vc deve escrever sobre as causas/incentivos né :3? eu me lembro de muita coisa que vc tinha me escrito lá no Snips( fanado nisso,vc ainda tem suas bibliotecas lá? aquele site ficou esquisto,não sei mais acessá-lo) devia ser exposta como aquele lance do carnaval e big brother,dentre outros lixos.

    O pessoal do Stop Porno Culture tem um video disponível que pode ser utilizado( só dar os créditos para elas lá).Se desejar,posso te pasar,só que está em inglês e não tenho como colocar legendas ._.Também tenho uns artigos que o pessoal da Scotish coalition agaisnt sexual exploitation( ou algo perto disso0 posta lá no facebook.tem muita coisa sobre hipersexualização e consequências e me dá calafrios quando vejo feministas brasileiras apoiam do práticas pro-objetificação ao invés de incentivar as mulheres a mudarem de postura,como acontece( á duras penas) lá fora.

    A única coisa ruim destes artigos é que são internacionais…muita coisa fica meio “não compatível” mas são de suma importância para forçar discussões.Ou seja,”dão pro gasto” ^_^

    • arttemiarktos
      ago 18, 2011 @ 02:51:04

      Vou ler mais sobre isso e tentar escrever alguma coisa. As bibliotecas ainda estão lá e eu atualizo sempre. Manda os artigos e os links pro meu email. Vc ainda sabe, né? Abraços.

  8. tuxedosam
    ago 17, 2011 @ 12:02:42

    se esqueceu de falar que a cultura do estupro é encourajada pela pornografia e vulgarização da mulher na mídia.Se quisermos por um fim nisso,temos que ser mais agressivas em relação á estas violências contra nós

    • arttemiarktos
      ago 17, 2011 @ 15:34:14

      Verdade, como dizia a Robin Morgan “a pornografia é a teoria e o estupro, a prática.”

      Mas o texto é apenas para desfazer mitos que culpam as vítimas pelo estupro que sofrem.

%d blogueiros gostam disto: